Páginas

domingo, 15 de janeiro de 2012

Etapas de Produção


Uma paixão há décadas, a modelagem sempre esteve presente em minha vida. Desde menina o universo dos moldes em " papel paraná " era dimensionado e admirado por mim. Tudo me foi apresentado de forma muito fácil, mas, desenvolvido com muito empenho.

Lembro bem de cada empresa que visitei, desde as mais simples as mais atualizadas. Esse post é para aproximar, um pouco, os interessados que não tiveram as oportunidades que eu tive.

Criação

O processo criativo é baseado em pesquisas abrangendo vários segmentos. Dele faz parte as cores, as estampas, os tecidos, o desenvolvimento da coleção, o encadeamento dos modelos... enfim, escolhas, memórias, viagens entre outros associados as tendências.



Processo Criativo do ex-aluno Robson Rastrelli



Ambientação 

    Cartela de Cores




Tecidos 





Coleção
Acessórios



Alguns croquis






Processo Criativo da ex-aluna Julia Maria Cogliatti









Ambientação














Cartela de Cores














Acessórios















Um dos croquis








Ufa! A coleção já está definida e então começa o desenvolvimento da ficha técnica de cada modelo. Nessa etapa o desenho técnico é fundamental como todas as informações necessárias para o desenvolvimento do produto até o processo final.











Ficha Técnica










Digitalização dos Moldes 



Após a peça piloto aprovada, os moldes são digitalizados ou fotografados através de algum software especifico para a reprodução digital no papel. Os softwares mais conhecidos sao o digiflesh- programa que roda no Audaces, a mesa digitalizadora de moldes, ou o n-hega, um outro software de reprodução de moldes.





Enfesto Automático

Na 1.ª mesa da foto abaixo (mesa transportadora de enfesto) o rolo de tecido é colocado na enfestadeira que faz toda a sobreposição do tecido (enfesto) para o corte. Após o tecido enfestado na quantidade e metragem previamente programada pelo sistema, a 1.ª mesa (mesa transportadora) transporta, reposicionando o enfesto, na mesa ao lado, mesa em que será efetuado o corte: com máquina manual ou o corte digital.


















Risco do enfesto


O risco do enfesto anterior é feito em um papel com a mesma metragem do tecido que foi  enfestado. Esse risco é feito através de uma ploter ( a receptora dos moldes digitalizados). Depois do rico posicionado sobre o enfesto, uma película de plástico, finaliza a operação para iniciar o corte.


Corte

Os moldes são cortados, separados por tamanho e preparados para entrar em produção interna ou externa ( facçã0). 





Um exemplo de corte manual com a máquina de faca




Produção

Após o corte e a separação das peças de um pedido, o planejamento de como será feita a produção começa a ser executado. Nessa etapa chamada de "sequência operacional", as peças são distribuidas pelos setores responsáveis da fábrica.



Quadro de um carrinho de produção cujas informações são referentes a 
uma calça jeans.



Breve descrição do quadro de produção

Operadora = Nome do profissional

Operação = Parte a ser preparada


TP = Tempo de preparo

Meta / Carga = Quantidade de partes e o tempo total da operação


Relógio = Marca o início e o término de um lote de alguma parte em operação 

Produção = Diagnóstico da meta alcançada pelo operador.







Operadora produzindo passadores em série 




10 comentários:

  1. Como sempre vou ser eterno admirador do trabalho e da pessoa de Sônia Duarte, adoro sempre o blog e to sempre aqui vendo os post!
    Fui aluno dela e tudo que aprendi foi com ela e foi a grande virada do meu trabalho!

    ResponderExcluir
  2. Meu querido e inesquecível aluno e monitor, obrigada pelo carinho. bjs

    ResponderExcluir
  3. Estou sempre acompanhando seu blogger e percebo que é com carinho e dedicação que vocês faz as postagens, obrigada por dividir essas informações.
    Gostaria de pedir uma dica para a confecção de uma calça palazzo.
    Muito bom esse espaço.
    :)

    ResponderExcluir
  4. Carla Calixto,
    Coloque em perguntas suas dúvidas.
    bjs

    ResponderExcluir
  5. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  6. Olá Sonia.
    A minha dúvida é a seguinte, gostaria de saber se é a partir da cintura ou da linha dos quadril que se inicia a abertura em evasê ( não sei exatamente se é em evasê) da perna da calça e quanto uso + ou – de afastamento - percebo que é bem amplo esse modelo?
    Obrigada .

    ResponderExcluir
  7. Carla,
    O Palazo Pijama tem a amplidão lateral iniciando na cintura. Trace as bases e estenda uma linha inclinada finalizando na bainha conforme desejar. Repita a distància entre a lateral da base até a linha traçada na lateral da outra perna. Nas entrepernas aumente 8cm na frente e 16cm nas costas.

    Bjs
    Sonia Duarte

    ResponderExcluir
  8. O seu blog é maravilhoso! vc é uma pessoa extremamente profissional e caridosa porque quem diz: "Esse post é para aproximar, um pouco, os interessados que não tiveram as oportunidades que eu tive." está fazendo o maior ato de caridade que alguém pode fazer...que é pensar no próximo.Quanta gente vc está ajudando. Te parabenizo pela sua atitude grandiosa e humana! bjs

    ResponderExcluir
  9. Monica,
    Muito sensível, o seu coração me fez ver, mais uma vez, a grandiosidade da divisão de conhecimentos e valores.
    Obrigada

    ResponderExcluir

cleobrodrigues@gmail.com;modelagem.mib@gmail.com